Passar para o Conteúdo Principal
Voltar ao Início
Alertas/trânsito
  

Câmara de Leiria iniciou programa de controlo preventivo de pombos nas áreas urbanas

Pombos 1 675 2500
14 Abril 2020

A Câmara Municipal de Leiria iniciou um programa de controlo preventivo de pombos nas áreas urbanas, constituído por ações de controlo das populações de pombos bem como ações de informação e sensibilização dos munícipes.

Os pombos são aves que se adaptam bem nas áreas urbanas e com as quais nos habituámos a conviver no nosso dia-a-dia. No entanto, esta convivência pode tornar-se problemática quando as populações de pombos se reproduzem descontroladamente, transformando-se numa praga urbana com consequências nefastas para a saúde pública, ambiente e património.

Este aumento das populações de pombos nas áreas urbanas deve-se, essencialmente, a três fatores, nomeadamente a disposição na via pública de alimento e água e desta forma os pombos não têm necessidade de procurar o seu próprio alimento; a existência de abrigos e locais propícios à nidificação, nomeadamente em calhas e algerozes, terraços, varandas, forros de telhado, que não são devidamente limpos ou cuidados, e a inexistência de predadores naturais nas áreas urbanas, tais como répteis, aves de rapina e outros.

Todos estes fatores reunidos levam a que os pombos, em vez de terem duas a três ninhadas por ano (o habitual em habitat natural), passem a ter, nas áreas urbanas, quatro a cinco ninhadas por ano.

 

Consequência para a saúde pública, ambiente e património

Os aspetos mais visíveis e nefastos deste aumento exagerado do número de pombos são:

· A sujidade provocada pelos dejetos e penas nos espaços públicos e habitações;

· A degradação do património devido à acidez da fezes que corroem estruturas;

· O entupimento de calhas algerozes e degradação de monumentos e habitações, devido ao elevado grau de acidez das suas fezes;

· Os pombos podem transmitir várias doenças e parasitas aos outros animais e também ao Homem, nomeadamente, tuberculose, criptococose, salmonelose, dermatites, gastroenterites, toxoplasmose, carraças, pulgas, entre outras.

 

Como podemos prevenir?

A convivência entre pombos e humanos nas áreas urbanas poderá ser harmoniosa se conseguirmos manter o equilíbrio ecológico, sendo que, para tal, a reprodução dos pombos terá de ser controlada. Assim, solicita-se também aos munícipes que tomem medidas de prevenção, protegendo simultaneamente as suas habitações, a saúde pública e o ambiente, nomeadamente:

· Limpar regularmente algerozes, calhas, terraços, varandas e forros de telhado dos seus prédios, em especial nos meses de março a julho e em setembro, de forma a remover dejetos, restos de ninhos, penas e ovos, prevenindo entupimentos. Esta limpeza deverá ser realizada com algumas precauções como o humedecimento das poeiras antes de as remover e a utilização de luvas e de máscara ou de um pano humedecido a proteger a boca e o nariz;

· Não alimentar os pombos, uma vez que eles têm capacidade para procurar o seu próprio alimento;

· Chamar a atenção de quem os alimenta;

· Colocar diversos tipos de redes, vedando o acesso dos pombos aos possíveis locais de poiso e nidificação;

· Colocar hastes, espículas ou fios de nylon (ou de pesca) esticados a 10 cm da superfície e presos nas pontas, em beirais, terraços e outras superfícies de poiso, afastando, assim, os pombos;

· Aplicar pastas ou géis repelentes nos parapeitos ou outras superfícies dos edifícios - estes produtos químicos causam uma ligeira sensação de calor e irritação nas patas das aves e inibem o seu poiso;

· Utilizar figuras de aves predadores dos pombos, como falcões, águias ou outras aves de rapina, que funcionam como espantalhos, ou objetos de cor brilhante ou refletores da luz solar, que causam incómodo visual aos pombos.

· Solicita-se ainda que informe a Câmara Municipal, caso tenha conhecimento de edifícios abandonados ou zonas onde existam comunidades de pombos.

Para contrariar esta situação a Autarquia conta com a colaboração de todos, pelo que para mais informações ou esclarecimento de quaisquer dúvidas, poderá ser contactada a Divisão de Saúde e Proteção Animal da Câmara Municipal, através do tel. 244 838 500, ou do email: cmleiria@cm-leiria.pt .

 

Câmara Municipal de Leiria
Largo da República, 2414-006 Leiria
T 244 839 500
E cmleiria@cm-leiria.pt

Validação
powered by Wiremaze
compete